Por Daniel Benedetti

"In the Midnight Hour" é uma música originalmente lançada por Wilson Pickett, em 1965, e também presente em seu álbum de 1965 de mesmo nome, bem como aparecendo no álbum de 1966 The Exciting Wilson Pickett.

A música foi composta por Pickett e Steve Cropper no histórico Lorraine Motel, em Memphis, onde Martin Luther King Jr. seria assassinado em abril de 1968.

Wilson Pickett gravou "In the Midnight Hour" no Stax Studios, em Memphis, no dia 12 de maio de 1965. O coescritor da música, Steve Cropper, lembra:

[o presidente da Atlantic Records] Jerry Wexler disse que iria trazer esse grande cantor Wilson Pickett” para gravar no Stax Studio, onde Cropper era guitarrista de estúdio. “E eu não sabia em quais grupos ele esteve ou o que quer que seja. Mas eu trabalhava em uma loja de discos e encontrei algumas músicas gospel que Wilson Pickett tinha cantado. Em algumas [no] final, ele cantava: I'll see my Jesus in the midnight hour! Oh, in the midnight hour. I'll see my Jesus in the midnight hour”.

Foi de lá, então, que Cropper tirou a ideia de usar a frase in the Midnight Hour como base para uma música de R&B.

Provavelmente, Cropper estava se lembrando da música de 1962, do grupo Falcon, chamada “I Found a Love”, na qual Pickett canta a música, dizendo: And sometimes I call in the midnight hour!

O único registro gospel que Pickett havia aparecido antes era “Sign of the Judgement” do Violinaires, que não inclui essa frase.

Além de Cropper, a banda em "In the Midnight Hour" contou com os músicos da Stax Records, Al Jackson (bateria) e Donald "Duck" Dunn (baixo). De acordo com Cropper, "Wexler foi responsável pelo inovador backbeat da faixa", quando Cropper renovou seu ritmo planejado para "In the Midnight Hour", com base em um passo de dança que Wexler demonstrou no estúdio.

Wilson Pickett

"In the Midnight Hour" alcançou o número um no ranking de R&B da revista Billboard, de 7 de agosto de 1965, e passou para o Top 40 da Billboard Hot 100 alcançando a 21ª posição: no entanto, de acordo com o proprietário da Stax, Jim Stewart, o total de vendas domésticas do single, em seu lançamento original, foi de 300 mil cópias.

No entanto, "In the Midnight Hour", de Wilson Pickett, tornou-se uma faixa icônica de R&B, ficando na 134ª colocação da lista das 500 melhores músicas de todos os tempos da Rolling Stone, a primeira de duas de Wilson Pickett na lista (a outra sendo “Mustang Sally” na 434ª colocação).

É também considerada uma das 500 músicas que deu forma ao Rock and Roll, do Hall da Fama do Rock and Roll, sendo a única de Pickett.

A música está atualmente classificada como a 175ª melhor música de todos os tempos, bem como a décima primeira melhor música de 1965, pelo Acclaimed Music. Pickett regravou a música para seu álbum de 1987, American Soul Man.

Ray Brown and The Whispers, Samantha Sang, Roxy Music e The Mirettes são alguns dos artistas que já regravaram a canção.

Foi o primeiro sucesso de Pickett na Atlantic Records, em 2017, a música foi selecionada para preservação no Registro Nacional de Gravação, através da Biblioteca do Congresso dos EUA, como sendo "cultural, histórica ou artisticamente significativa".

Confira a letra de “In the Midnight Hour”:

I'm gonna wait till the midnight hour
That's when my love comes a-tumbling down
I'm gonna wait till the midnight hour
When there's nobody else around
I'm gonna take you girl and hold you
Do all the things I told you
In the midnight hour
Yes I am

I'm gonna wait till the stars come out
And see that twinkle in your eyes
I'm gonna wait till the midnight hour
That when my love begins to shine
'Cause you're the only girl I know
That can really love me so
In the midnight hour

Formação:
Wilson Pickett – Vocal
Steve Cropper – Guitarra
Donald Dunn – Baixo
Al Jackson – Bateria



0 Comentários