Por Daniel Benedetti


Funkadelic é o álbum de estreia da banda americana de mesmo nome, Funkadelic, lançado em 24 de fevereiro de 1970, pelo selo Westbound Records, este, situado na cidade norte-americana de Detroit.

O grupo que se tornaria o Funkadelic foi formado por George Clinton, em 1964, como a seção de apoio (então sem nome) de seu grupo doo wop chamado The Parliaments, enquanto estivesse em turnê.

A banda consistia originalmente dos músicos Frankie Boyce, Richard Boyce e Langston Booth, além dos cinco membros do Parliaments nos vocais. Boyce, Boyce e Booth se alistaram no Exército em 1966, e Clinton recrutou o baixista Billy Bass Nelson e o guitarrista Eddie Hazel, em 1967, e depois adicionou o guitarrista Tawl Ross e o baterista Tiki Fulwood.

O nome Funkadelic foi cunhado por Nelson, depois que a banda se mudou para Detroit. Em 1968, por causa de uma disputa com a Revilot, a gravadora que detinha os direitos do nome "The Parliaments", o grupo começou a tocar com o nome Funkadelic.

Como Funkadelic, o grupo assinou contrato com o Westbound em 1968. Nessa época, a música do grupo evoluiu de soul e doo woop para uma mistura mais dura de rock psicodélico, soul e funk, impulsionada por guitarras, muito influenciada pelos movimentos musicais (e políticos) populares daquele tempo.

Jimi Hendrix e Sly Stone eram as principais inspirações. Mais tarde, esse estilo evoluiu para um funk mais estreito, baseado em guitarra e horns (por volta de 1971-75), que posteriormente, durante o auge do sucesso do Parliament-Funkadelic (por volta de 1976-81), adicionou elementos de R&B e música eletrônica, com menos elementos de rock psicodélico.

A banda fez sua primeira apresentação, ao vivo na televisão, no Say Brother em 7 de outubro de 1969. Eles tocaram uma jam com as músicas "Into My Own Thing", "What Is Soul?", "(I Wanna) Testify", "I Was Made to Love Her" (cover de Stevie Wonder)," Friday Night, August 14th” e “Music for My Mother".

O autointitulado álbum de estréia do grupo, Funkadelic, foi lançado em 1970. Os créditos listavam o organista Mickey Atkins, mais Clinton, Fulwood, Hazel, Nelson e Ross.

A gravação também incluiu os demais cantores do Parliaments (ainda não creditados devido a preocupações contratuais), vários músicos de sessão não creditados, na época empregados pela Motown Records, bem como Ray Monette (do Rare Earth) e o futuro suporte do P-Funk, Bernie Worrell.

O disco apresenta uma forte presença do baixo, bem como de toda a seção rítmica, além de longas sessões de improviso, futuras marcas registradas da banda. O trabalho também contém dois remakes de músicas do The Parliaments: "I'll Bet You" and "Good Old Music".

Funkadelic

"Mommy, What's a Funkadelic?" e "What is Soul" continham o início da mitologia do Funkadelic, a saber, que "Funkadelic" e "the Funk" são de origem extraterrestre, mas não perigosos. "I Got a Thing, You Got a Thing, Everybody's Got a Thing" é particularmente notável por conta de um solo de guitarra de Ray Monette, da Rare Earth.

Muito groove e uma guitarra bem ácida, cortesia de Eddie Hazel, marcam a excelente faixa de abertura, “Mommy, What's a Funkadelic?”, em seus 9 minutos de ousadia. É simplesmente apaixonante o baixo de Bob Babbit na dançante “I Bet You”, uma composição repleta de ritmo. “Music for My Mother” é mais contida, em uma abordagem consideravelmente mais sensível e introspectiva. Fechando o lado A do LP original está “I Got a Thing, You Got a Thing, Everybody's Got a Thing”, a música mais curta do disco.

O lado B começa com “Good Old Music”, uma canção que conquista o ouvinte pelos vocais incríveis liderados por Clarence "Fuzzy" Haskins. “Qualify and Satisfy” flerta mais efusivamente com o Blues Rock e a guitarra de Hazel está infernal. Fecha o trabalho “What Is Soul”, um Funk bem psicodélico, mas com boa influência do Rock.

Em conjunto com o lançamento de Funkadelic, a Westbound Records divulgou um single promocional chamado "Focus on Funkadelic" para as estações de rádio. O single apresenta seis trechos de faixas do LP.

Os singles “I'll Bet You” e “I Got a Thing, You Got a Thing, Everybody's Got a Thing” conquistaram, respectivamente, as 63ª e 80ª posições na principal parada norte-americana desta natureza, enquanto “Music for My Mother” não chegou a repercutir.

O crítico Robert Christgau se referiu à música "sombria, lenta e afinada" do Funkadelic. Escrevendo no Christgau's Record Guide: Rock Albums of the Seventies (1981), Christgau brincou se referindo a Clinton como "alguém da Carolina que encontrou a eternidade no LSD e prometeu contê-la em um ritmo"; em referência a "Mommy, What's a Funkadelic?" e a "What Is Soul", ele escreveu: "vocês recebem notas altas por suas perguntas, pessoal".

Anos depois, Christgau avaliou o álbum de forma mais favorável no Blender, considerando o álbum como "uma prévia depressiva de There's a Riot Goin' On, do Sly and the Family Stone”.

A Mojo saudou Funkadelic como "o melhor rock ácido distorcido e influenciado pelo blues que você provavelmente ouvirá", e a The Mojo Collection (2007) chamou o primeiro álbum da banda de "funk psicodélico espacial".

Jason Birchmeier, do AllMusic, disse que as gravações são "canções de soul essencialmente convencionais no espírito da Motown ou Stax - ritmos firmes, arranjos densos, refrões de vocais - mas com uma guitarra alta, distorcida e à espreita". Ele considerou o disco "um álbum revelador e único que certamente não tem pouca importância, marcando claramente a encruzilhada entre o soul dos anos 60 e o funk dos anos 70".

"I'm Bet You" foi regravada pelo The Jackson 5 em seu álbum ABC, e sampleada pelos Beastie Boys na música "Car Thief".

Eddie Hazel

A reedição em CD, de 2005, também contém sua versão para "Can't Shake It Loose", que foi gravada dois anos antes por Diana Ross and The Supremes em seu álbum Love Child.

Em anos mais recentes, o Red Hot Chili Peppers combinou o riff principal de "Mommy, What's a Funkadelic?" e algumas partes da letra de "What Is Soul?" em shows ao vivo, em uma versão que aparece como um lado B em seu single de 2002, "By the Way".

Funkadelic não foi um sucesso comercial e ficou apenas na 126ª colocação da principal parada norte-americana de discos, a Billboard Hot 100.

Formação:
Funkadelic:
Eddie Hazel - Guitarra, Backing Vocal em 01
Lucius "Tawl" Ross - Guitarra rítmica
Ramon "Tiki" Fulwood - Bateria (01, 02, 04, 05, 06, 07)
Billy "Bass" Nelson - Baixo em (03, 04, 06); Backing Vocal; Vocal em 05
Mickey Atkins - Órgão Hammond em (05, 06, 07)
The Parliaments:
George Clinton - Vocal principal em 01 & 07
Clarence "Fuzzy" Haskins - Vocal em 02 & 05
Calvin Simon - Vocal em 06
Ray Davis - Vocal em 02
Grady Thomas - Vocal em 02
Músicos adicionais:
Ray Monette - Guitarra (02, 04)
Bob Babbitt - Baixo (01, 02)
Bernie Worrell - Órgão Hammond em (04)
Earl Van Dyke - Órgão Hammond em (02)
Brad Innis - Bateria (03)
Gasper Lawal - Congas (03)
Herb Sparkman - Vocal principal em 03
Hot Buttered Soul - Backing Vocals

Faixas:
01. Mommy, What's a Funkadelic? (Clinton) - 9:04
02. I Bet You (Clinton/Barnes/Lindsey) - 6:10
03. Music for My Mother (Clinton/Hazel/Nelson) - 5:37
04. I Got a Thing, You Got a Thing, Everybody's Got a Thing (Haskins) - 3:52
05. Good Old Music (Clinton) - 7:59
06. Qualify and Satisfy (Clinton/Hazel) - 6:15
07. What Is Soul (Clinton) - 7:40



0 Comentários