GILLAN & GLOVER - ACCIDENTALLY ON PURPOSE (1988)

By Daniel Benedetti - novembro 11, 2019



Por Daniel Benedetti


Accidentally on Purpose é um álbum lançado por Ian Gillan e Roger Glover em fevereiro de 1988, através do selo Virgin Records. As gravações ocorreram naquele mesmo ano e usaram os estúdios: AIR Studios, em Montserrat, o Minot Studio e o The Power Station, em New York City, e o Sountec Studios, em Connecticut. A produção ficou por conta de Roger Glover e Ian Gillan, com o engenheiro de som sendo Nick Blagona.

Se há alguém que não os conheça, Ian Gillan e Roger Glover são membros lendários do Deep Purple, sendo Gillan o vocalista e Glover, baixista.

Em 1987, o Deep Purple lançava The House of Blue Light, no dia 12 de janeiro.

A criação de The House of Blue Light foi um processo extremamente longo e difícil, o qual o vocalista Ian Gillan comparou com a gravação de Who Do We Think We Are, em Roma. Gillan comentou como as relações tensas dentro da banda comprometeram o álbum: “Eu olho para o House Of Blue Light, há algumas músicas boas nesse álbum, mas há algo faltando no álbum em geral. Não consigo sentir o espírito em que posso ver ou ouvir cinco profissionais fazendo o melhor possível, mas é como um time de futebol, não está funcionando. É como onze estrelas que estão jogando no mesmo campo, mas não estão conectadas pelo coração ou pelo espírito”.

O guitarrista Ritchie Blackmore disse que muito do disco foi regravado, e confessou: “Acho que toquei uma merda nele, e não acho que mais ninguém realmente tenha entendido isso”. O tecladista Jon Lord afirmou: “House of Blue Light era um álbum estranho e difícil de montar. Cometemos o enorme erro de tentar tornar nossa música atual. Descobrimos que as pessoas não queriam que fizéssemos isso”.

Apesar das preocupações da banda, The House of Blue Light vendeu bem. Ele alcançou o 10º lugar nas paradas britânicas, o 34º na Billboard 200, nos EUA, e alcançou o top 10 em seis outros países.

Roger Glover e Ian Gillan

Em contraste com suas experiências com o Deep Purple na década de 1970, Gillan se sentiu frustrado pela banda não estar mais trabalhando o suficiente. Para cumprir seu contrato com a Virgin, ele formou um projeto paralelo com Glover, escrevendo e gravando músicas que não se encaixavam no estilo hard rock estabelecido do Purple, o que resultou no álbum Accidentally on Purpose.

Portanto, estejam avisados: Accidentally on Purpose não tem nada a ver com o Deep Purple exceto o fato de ser comandado por 2 de seus integrantes.

Teclados proeminentes anunciam a entrada de “Clouds and Rain” em uma faixa predominada pela suavidade e por uma melodia mais introspectiva, com os competentes vocais de Ian. “Evil Eye” possui um clima ‘disco’, com boa dose de groove e uma batida dançante, em uma música bem curiosa, repleta de sintetizadores. “She Took My Breath Away” possui toques de música caribenha, em uma roupagem introspectiva e um saxofone bem safado.

Dislocated” é outra canção bem disco, com toques de saxofone, mas se revela pouco inspirada. O rockabilly de “Via Miami” é um grande momento do trabalho, com boa pegada e ritmo contagiante. Chega-se a “I Can't Dance to That” que, até este momento, é a faixa mais próxima daquilo que a dupla executava no Deep Purple: um Hard Rock bem malicioso! Na sequência, uma divertida e saborosa versão para a clássica “Can't Believe You Wanna Leave”, de Little Richard.

Outra versão, desta feita, introspectiva e intrigante, para o blues “Lonely Avenue”, do lendário Doc Pomus, ganha uma roupagem com influências de Soul Music. “Telephone Box” é um rock padrão, com bom andamento e uma certa dose de malemolência. O disco se encerra com o excelente blues chamado “I Thought No”, com Gillan apavorando na gaita.

Enfim, com uma produção simples, porém que funciona perfeitamente para esta proposta, Accidentally on Purpose diverte, mas pode decepcionar fãs mais xiitas de Deep Purple. Apresentando uma gama diferente de influências, o álbum encontra momentos diversificados entre si, com resultados também diferentes. Mesmo assim, permanece como uma obra interessante de dois músicos bem competentes.

Dislocated”, “I Can't Dance to That”, “Clouds And Rain” e “She Took My Breath Away” foram os singles, mas que não fizeram barulho em termos das principais paradas de sucesso daquela natureza.

Accidentally on Purpose atingiu a 25ª posição da principal parada de discos da Suécia.

Formação:
Ian Gillan - Vocal, Gaita
Roger Glover - Baixo, Teclados, Guitarras, Programação
Músicos adicionais
Ira Siegel, Nick Maroch - Guitarras
Lloyd Landesman - Teclados
Dr. John - Piano
Andy Newmark - Bateria
George Young, Joe Mennonna - Saxofones
Randy Brecker - Flugelhorn
Vaneese Thomas, Christine Faith, Lydia Mann, Bette Sussmann - Backing Vocal

Faixas:
01. Clouds and Rain (Gillan/Glover) – 4:03
02. Evil Eye (Gillan/Glover) – 4:12
03. She Took My Breath Away (Gillan/Glover) – 4:34
04. Dislocated (Gillan/Glover) – 3:24
05. Via Miami (Gillan/Glover) – 5:00
06. I Can't Dance to That (Gillan/Glover) – 4:26
07. Can't Believe You Wanna Leave (Penniman) – 3:11
08. Lonely Avenue (Pomus) – 3:08
09. Telephone Box (Gillan/Glover) – 5:18
10. I Thought No (Gillan/Glover) – 3:34


  • Compartilhe:

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

0 comentários